‘Não quero ser só o gay do telejornal’, diz Marcelo Cosme, da GloboNews

Apresentador do programa 'Em Pauta' conta como os filmes do ator Paulo Gustavo lhe deram coragem para revelar sua orientação sexual aos pais
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O apresentador do programa Em Pauta, da GloboNews, Marcelo Cosme, de 41 anos, surpreendeu os telespectadores do noticiário na última sexta-feira, 7, ao revelar ao vivo que o filme Minha Mãe é Uma Peça, de Paulo Gustavo, o ajudou a tomar a decisão de contar para a sua família que ele era gay. “Eu pensava o seguinte: se a minha mãe vendo uma mãe aceitando um filho gay e rindo na TV, então ela vai me acolher quando eu contar’”, disse Cosme ao vivo, comentando sobre a personagem de Paulo Gustavo, a Dona Hermínia, que no filme tem um filho gay.

A revelação foi feita quando ele conversava com os comentaristas do jornal sobre a morte de Paulo Gustavo, em 4 de maio, em decorrência da Covid-19. Em entrevista a VEJA, Marcelo conta que demorou muito tempo para se assumir gay — o que ocorreu em 2016, quando ele tinha 38 anos e já era pai de um menino.

“Eu já tinha revelado, no início do ano, que namorava um cardiologista, ao comentar sobre a pandemia. Meu namorado trabalha em uma UTI de coronavírus. Quando falei isso no ar, teve uma grande repercussão nas redes sociais. Mas quando sai do estúdio, ninguém falou absolutamente nada comigo porque isso é muito natural na emissora. Aqui ninguém é tratado como o gay, o negro, o gordo. Todo mundo é igual. Na nossa equipe temos diversas pessoas homossexuais. Por que meus colegas podem falar que têm esposa, marido e eu não poderia falar que tenho namorado? Enquanto isso chamar a atenção das pessoas, a gente vai precisar falar”, disse à Veja.

“Não sou militante da causa LGBT. Mas acho que todo mundo tem o seu papel. Não quero ser só o gay do telejornal. Eu sou o Marcelo, filho, pai, jornalista, gay, vizinho, cunhado, colega de trabalho. Ser gay não é menos ou mais importante de tudo o que eu sou. Mesmo não sendo militante, eu tenho um papel fundamental. Nunca tive referências gays dentro do telejornalismo com apresentadores.” 

Sobre se assumir, Cosme revelou que foi um processo demorado de autoaceitação e de relatar para família, deixou claro ainda que só se sente pleno há dois anos. “Foi só com 28 anos que eu tive coragem de ficar com o primeiro homem. Depois disso, ainda levou dez anos até contar para os meus pais, quando eu já tinha 38 anos. Mas só tenho essa vida plena mesmo, de uns dois anos para cá.”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.