34% dos jovens ainda não estão seguros de tomar a vacina

52% dos jovens disseram que o papel do governo na imunização da população vai influenciar o voto nas próximas eleições
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Brasil completa 16 meses de pandemia e é um dos países do globo pró-vacinação. De acordo com dados do Plano Nacional de Imunização, 121 milhões de pessoas, ou 57% da população, já tomaram ao menos uma dose dos imunizantes disponíveis. Esse número sobe para um quarto da população, ou seja, 54 milhões de brasileiros, se for medir apenas para quem já tomou as duas doses ou a dose única.

No país, 54 milhões de pessoas fazem parte da geração Z, a fatia da população que tem entre 13 e 25 anos de idade. E dias atrás,  os nativos digitais começaram a ser vacinados em todos os Estados da Federação. Tudo bem que em algumas capitais brasileiras, a fila travou e não fluiu. No entanto, desde o fim do mês de agosto a fila está andando, atingindo todas as idades. A meta do governo é vacinar todos eles ao lado dos idosos e das pessoas com comorbidades, que foram os primeiros a tomarem o imunizante no país.

Após uma longa espera, afinal foram quase 8 meses de muita ansiedade, estes jovens estão com sentimentos contraditórios sobre o processo de imunização contra o vírus do COVID-19. Por esta razão,  o Yubo, aplicativo voltado para geração Z, com  2,5 milhões de usuários no Brasil e 50 milhões ao redor do mundo, realizou uma pesquisa inédita a fim de tentar entender esta contradição envolvida nos corações e mentes juvenis brasileiras. A pesquisa foi feita entre os dias 3 e 7 de setembro e ouviu 4 mil jovens entre 12 e 24 anos de idade.

Lucien Grandval salientou que os dados da pesquisa brasileira são interessantes. No entanto, os sommeliers de vacina são notórios:

“Essa pesquisa mostra que a vacina é um tema polêmico, com informações online contraditórias e enganosas. As plataformas, Yubo entre outras, têm um papel real a desempenhar na informação das pessoas sobre a vacinação e em geral sobre a pandemia.”

Os dados revelados no Brasil  são os seguintes:

Uma de duas – 76% dos jovens que responderam à pesquisa declararam que já tomaram a primeira dose do imunizante; 17% não tomaram nenhuma das duas doses e 6% já recebeu as duas doses;

Motivos para o SIM – Dos 3224 jovens que responderam que pretendem tomar ou já tomaram a vacina,  73% dos jovens disseram que tomaram para proteger a família, os amigos e a comunidade que está inserido; 49% disseram que tomaram para se proteger; 32%, declararam que não queriam ficar em quarentena para sempre; 19%, que vivem e interagem com amigos e familiares participantes do grupo de risco; 18% acreditam que os benefícios sejam maiores que os efeitos colaterais; 6% afirmaram que querem viajar mundo afora novamente; 2%, são um trabalhador essencial.

Motivos para o NÃO –  Dos 776 jovens que responderam que não iriam tomar a vacina, 34% disseram que querem esperar mais um pouco para ver o que acontece com outras pessoas sendo imunizadas antes de tomar uma decisão; 24% parece que ainda não fizeram as pesquisas necessárias; 16% não sabem a vacina certa para eles; 15% possui preocupação com efeitos colaterais da Pfizer; 11% possui preocupação com os efeitos colaterais da CoronaVac; 5%, possui preocupação com os efeitos colaterais da AstraZeneca e 7% acreditam que não precisam pois não pretendem sair de casa;

Ninguém os entende – 52% acreditam que as informações e mensagens do governo e das fontes sanitárias estão bem confusas; 37% acreditam que eles estão fazendo tudo o que podem para ajudar o Brasil a sair da quarentena e da pandemia; 10% não acreditam nas informações que eles estão contando;

Desserviço – 53% não acredita que o governo esteja fazendo um bom trabalho durante a imunização dos brasileiros; 47% acredita que sim;

Influência nas próximas eleições – 53% disseram que o papel do governo no processo de imunização vai influenciar o voto nas urnas em outubro de 2022; 16% disseram que não; e 16% disseram que talvez. Mesmo não tendo idade para votar em 2022, 7% disseram que tal ato do governo iria influenciar sim o voto se pudessem votar, 4% disseram que talvez e 3% disseram que não iria influenciar.

Papel governamental – 49% afirmaram que o governo está jogando contra  a vacina; 29% está atuando como neutro e 21%, a favor;

Passaportes da vacina – 74% afirmaram que seria ok usar os passaportes da vacina por aí; 20% não sabem ao certo; 5%, que não se sentiriam confortáveis.

Picada final – 79% dos jovens disseram que as vacinações são a chave para o fim da quarentena; 13% disseram que não sabem e 8% disseram que não são;

Fonte primária de informações – 82% dos jovens se informam sobre o processo da vacinação e as reviravoltas da doença pela mídia, jornais, portais online etc; 22% pelo governo e órgão sanitários; 19% por familiares; 15% por cientistas terceirizados ou pessoas da mídia; 9% por médicos e clínicos locais; 8% por amigos; 8% por influencers das redes sociais.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.